Papiloscopia do Ontem ao Hoje: avanços

Ramon Santos Fernandez, Taynara Dias Rabelo

Resumo


Evidências papiloscópicas datam de 7000 a 6000 a.C. A ciência Papiloscópica surgiu há aproximadamente 400 anos e seu primeiro uso criminal se deu em 1880. A concepção clássica da papiloscopia nos remete as características de formatos, desenhos e minúcias formadas pelas cristas papilares dos dedos e plantas de mãos e pés. Esses desenhos são únicos, perenes e imutáveis desde antes do nascimento até após a morte. Recentes estudos tem expandido essa ciência além dos desenhos digitais e se aprofundado no conhecimento químico e físico de seus constituintes. Há evidências sólidas que é possível a produção de um perfil químico individual, permitindo predizer condições sociais, idade e gênero do suspeito, e produzir um perfil genético, até mesmo estimar o tempo em que as latentes foram depositadas. 


Palavras-chave


Perícia, Ciências Forenses, Papiloscopia, Composição Química, Datação, DNA, Drogas, Fatores Sociais

Texto completo:

PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.