Editorial: A PERÍCIA CRIMINAL COMO INSTRUMENTO DE PROMOÇÃO DOS DIREITOS HUMANOS

Cristiano Barros de Melo

Resumo


O trabalho da polícia judiciária é complexo e envolve, entre outras questões, o cumprimento da sua missão constitucional, o respeito ao devido processo legal, os direitos humanos, a inteligência, o sigilo e a confidencialidade, a habilidade em lidar com a grande diversidade de casos e a fundamentação no conhecimento técnico e científico balizados pelas ciências forenses. Esse último é um dos fatores mais cruciais, em vista da grande diversidade da natureza humana, das condições e das diferenças sociais, do contingenciamento de recursos financeiros disponibilizados para os estudos e estímulo aos profissionais para capacitação e as inovações. Por outro lado, visto que a prática das organizações criminosas é orientada por uma ruptura com o ideal ético que pauta as normas legais, há de se considerar o alto potencial de adaptação que possuem para se evadir do escopo da justiça, o que promove, geralmente, uma luta desigual entre o crime e as forças policiais, além dos inerentes prejuízos à sociedade.

Palavras-chave


Ciências Policiais. Perícia Criminal. Criminalística. Direitos Humanos.

Texto completo:

PDF

Referências


CONGRAM, D.; FLAVEL, A.; MAEYAMA, K. Ignorance is not bliss: evidence of human rights violations from civil war Spaim. Annals of Anthropological Practice, v. 38, n. 1, p. 43-64, 2014.

EVERETT, M. L. Training psychologists to function as competent scientists in criminal forensics. New Directions for Mental Health Services, John Wiley & Sons Inc., n. 69, p. 9-57, 1996.

HARRISON, S. The diary of Jack the Ripper: the chilling confessions of James Maybrick. London: Smith Gryphon, 1993.

KIMMERLE, E. H. Practicing forens ic anthropology: a human rights approach to the global problem of missing and unidentified persons. Annals of Anthropological Practice, v. 38, n. 1, p. 1-6, 2014.

MURPHY, E. The New Forensics: Criminal Justice, False Certainty, and the Second Generation of Scientific Evidence. California Law Review, v. 95, p. 721-797, 2007.

PETHERICK, W. Criminal profiling: how it got started and how it is used. 2002.

ROGERS, M. The role of criminal profiling in the computer forensics process. Computers & Security, Elsevier, v. 22, n. 4, p. 292-298, 2003. DOI: https://doi.org/10.1016/S0167-4048(03)00405-X.

TURVEY, B. Criminal profiling: an introduction to behavioral evidence analysis. New York: Academic Press, 1999.




DOI: http://dx.doi.org/10.31412%2Frbcp.v11i3.790

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

e-ISSN: 2318-6917 || p-ISSN: 2178-0013 || ISSN-L: 2178-0013

                                                                                                          ANP Editora     OAI PMH Metadata (Open Archives)