A construção da memória organizacional: uma narrativa histórica sobre os cargos da Polícia Federal

Andersson Pereira dos Santos, Eduardo Schneider Machado, Adalmir de Oliveira Gomes

Resumo


O presente artigo apresenta uma narrativa histórica sobre a gênese e desenvolvimento dos cargos da Polícia Federal. Trata-se de um estudo descritivo, histórico-documental, que utilizou como fontes diretas de investigação o repertório de leis relacionadas à estruturação das carreiras da Polícia Federal. A organização é responsável por exercer, com exclusividade, as funções de polícia judiciária da União, de polícia marítima, aeroportuária e de fronteiras, bem como outras atribuições constitucionais e infraconstitucionais. Estudar a história dessa instituição é essencial para compreender a sua realidade organizacional e administrativa, especialmente as peculiaridades inerentes às funções exercidas pelos seus integrantes. O trabalho contribui com a agenda de pesquisa acerca da história da administração pública nacional, particularmente a respeito da construção e registro da memória sobre a formação do seu quadro de servidores.


Palavras-chave


Memoria organizacional; Administração pública; Cargos públicos; Polícia Federal.

Texto completo:

PDF

Referências


ACADEMIA DE POLÍCIA CIVIL DO DISTRITO FEDERAL. História da Polícia Civil de Brasília: aspectos estruturais (1957 a 1995). Academia de Polícia Civil. Brasília: Polícia Civil do Distrito Federal, 1998.

ALDÉ, Lorenzo. Ossos do ofício. Processo de trabalho e saúde sob a ótica dos funcionários do Instituto de Medicina Legal do Estado do Rio de Janeiro. Dissertação (Mestrado em Saúde Pública) – Fiocruz, Rio de Janeiro, 2003.

BARRETO FILHO, Mello; LIMA, Hermeto. História da polícia do Rio de Janeiro: aspectos da cidade e da vida carioca, 1565-1831. Rio de Janeiro: A Noite, 1939.

BARROS, Amon Narciso. Uma narrativa sobre os cursos superiores em Administração da FACE/UFMG: dos primeiros anos à sua unificação em 1968. Cad.EBAPE.BR, v. 12, nº 1, artigo 1, Rio de Janeiro, Jan./Mar., 2014.

BARROS, Amon Narciso; CRUZ, Rafaela Costa; XAVIER, Wescley Silva; CARRIERI, Alexandre de Pádua; LIMA, Gusttavo Cesar Oliveira. Apropriação dos saberes administrativos: um olhar alternativo sobre o desenvolvimento da área. RAM, Rev. Adm. Mackenzie, V. 12, N. 5, São Paulo, set./out., 2011.

BRASIL. Ministério da Administração Federal e Reforma do Estado. Câmara de Reforma do Estado. Plano Diretor da Reforma do Aparelho do Estado. Brasília, DF: Presidência da República; Câmara de Reforma do Estado, 1995.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. Da administração burocrática à gerencial. Revista do Serviço Público, v. 47, n. 1, 1996.

BRESSER-PEREIRA, Luiz Carlos. A Reforma do Estado nos anos 90: lógica e mecanismos de Controle. Lua Nova, 1998.

BRETAS, Marcos Luiz; ROSEMBERG, André. A história da polícia no Brasil: balanço e perspectivas. Topoi (Rio J.), Rio de Janeiro, v. 14, n. 26, p. 162-173, June, 2013.

CABRAL, Dilma. A importância da história administrativa no tratamento da informação pública. Rio de Janeiro: Arquivo Nacional, 2011.

CABRAL, Sandro; BARBOSA, Allan Claudius Q.; LAZZARINI, Sergio. Monitorando a Polícia: um estudo sobre a eficácia dos processos administrativos envolvendo policiais civis na Corregedoria Geral da Bahia. Organizações & Sociedade, Salvador, v.15 n. 47, p. 87-105, 2008.

CAMÕES, Marizaura Reis de Souza; MENESES, Pedro Paulo Murce. Gestão de pessoas no Governo Federal: análise da implementação da Política Nacional de Desenvolvimento de Pessoal. Brasília: Escola Nacional de Administração Pública, 2016.

CARDOSO, José Luís. A transferência da Corte para o Brasil, 200 anos depois. Balanço comemorativo e historiográfico. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, A. 170 (443), pp. 249-266, 2009.

CARVALHO, Ângela Maria Carneiro de. Principais transformações por que tem passado a organização governamental brasileira, a partir da década de 30, em consequência do modelo de desenvolvimento e das políticas públicas adotadas pelo país. Cadernos Ebape, n. 56, 1990.

COÊLHO, Bruna Fernandes. Histórico da medicina legal. Revista da Faculdade de Direito, Universidade de São Paulo, São Paulo, v. 105, p. 355-362, jan. 2010.

COELHO, Fernando de Souza; NICOLINI, Alexandre Mendes. Do auge à retração: análise de um dos estágios de construção do ensino de Administração pública no Brasil (1966-1982). Organizações & Sociedade, Salvador, v. 20, n. 66, p. 403-422, Sept., 2013.

CORAIOLA, Diego Maganhotto. Importância dos arquivos empresariais para a pesquisa histórica em Administração no Brasil. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, p. 254 a 269, jun., 2012.

COSTA, Alessandra de Sá Mello da; BARROS, Denise Franca; MARTINS, Paulo Emílio Matos. Perspectiva histórica em administração: novos objetos, novos problemas, novas abordagens. Rev. Adm. Empresas, São Paulo, v. 50, n. 3, p. 288-299, Sept., 2010.

COSTA, Frederico Lustosa da. Brasil: 200 anos de Estado; 200 anos de administração pública. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 42, n. 5, p. 829-74, 2008.

COSTA, Frederico Lustosa da; COSTA, Elza Marinho Lustosa da. Nova história da administração pública brasileira: pressupostos teóricos e fontes alternativas. Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, 50 (2), 215-236, 2015.

COSTA, Frederico Lustosa da; O’DONNELL, Júlia; MENDES, Pedro B. 1808-2008 — por uma nova história da administração pública brasileira. Revista do Instituto Histórico e Geográfico Brasileiro, Rio de Janeiro, v. 170, n. 443, p. 287-312, abr./jun., 2009.

CURADO, Isabela. Pesquisa historiográfica em administração: uma proposta metodológica. In: XXV Encontro da ANPAD, 25, 2001, Campinas. Anais. Campinas: ANPAD, 2001.

FADUL, Élvia; COELHO, Fernando de Souza; COSTA, Frederico Lustosa da; GOMES, Ricardo Corrêa. Administração Pública no Brasil: reflexões sobre o campo de saber a partir da Divisão Acadêmica da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração (2009-2013). Rev. Adm. Pública, Rio de Janeiro, v. 48, n. 5, p. 1329-1354, Oct., 2014.

FERRARO, Alceu Ravanello. Analfabetismo no Brasil: desconceitos e políticas de exclusão. Perspectiva, Florianópolis, v. 22, n. 1, p. 111-126, jan/jun., 2004.

FONTOURA, Yuna; ALFAIA, Lilian; FERNANDES, Alexandre. A pesquisa histórica em estudos organizacionais no Brasil: uma análise paradigmática e novas perspectivas. GESTÃO.Org - Revista Eletrônica de Gestão Organizacional, v. 11, n. 1, p. 83-103, 2013.

GARRIDO, Rodrigo Grazinoli; GIOVANELLI, Alexandre. Criminalística: origens, evolução e descaminhos. Cadernos de Ciências Sociais Aplicadas, Ano 4, n. 6, jul/dez. 2006.

GRAEF, Aldino, CARMO, Maria da Penha Barbosa da Cruz Carmo. A Organização de Carreiras do Poder Executivo da Administração Pública Federal Brasileira - O Papel das Carreiras Transversais, Brasília, 2009. Disponível em: http://www.planejamento.gov.br/ secretarias/upload/Arquivos/seges/090709_SEGES_Arq_carreiras_transversais.pdf. Acesso em: 29 mar., 2017.

JARDIM, José Maria. Transparência e Opacidade do Estado no Brasil: usos e desusos da informação governamental. Niterói: EDUFF, 1999.

LAMENZA, Regina; RAMOS, Lindomar Maria. História da Academia Nacional de Polícia. Departamento de Polícia Federal. Impresso, 1984.

LIMA JÚNIOR, Olavo Brasil. As reformas administrativas no Brasil: modelos, sucessos e fracassos. Revista do Serviço Público, v. 49, n. 2, 1998.

MARTINS, Humberto. A ética do patrimonialismo e a modernização da administração pública brasileira. In: CALDAS, Miguel Pinto; MOTTA, Fernando Cláudio Prestes (orgs). Cultura organizacional e cultura brasileira. São Paulo: Atlas, 1999.

MAUCH, Cláudia. Considerações sobre a história da polícia. Métis. Caxias do Sul, v. 6, n. 11, p. 107-119, 2007.

MOREIRA, Rafael de Sousa; LÚCIO, Giovanna de Sá. Gestão de carreiras no poder executivo federal: avanços recentes e perspectivas futuras. In: Congresso Consad de Gestão Pública, 5, 2012, Brasília. Anais, 2012.

PACHECO, Regina Silvia. Administração pública nas revistas especializadas - Brasil, 1995-2002. Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 43, n. 4, p. 63-71, out/dez., 2003.

PESTANA, José Cesar. Manual de organização policial do Estado de São Paulo. São Paulo: Escola de Polícia de São Paulo, 1961.

PIERANTI, Octavio Penna. A metodologia historiográfica na pesquisa em administração: uma discussão acerca de princípios e de sua aplicabilidade no Brasil contemporâneo. Cadernos EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 6, n. 1, p. 01-12, Mar, 2008.

POLÍCIA FEDERAL. Nota de esclarecimento. Serviço Gráfico do DPF, impresso, 1985.

POLÍCIA FEDERAL. 60 anos a Serviço do Brasil. Brasília, 2004.

RONCAGLIO, Cynthia. A história administrativa serve como subsídio para a organização da informação arquivística ou vice-versa? Revista Acervo, v. 25, n. 2, p. 92-103, jul/dez., 2012.

ROSEMBERG, André. Herói, vilão ou mequetrefe: a representação da polícia e do policial no Império e na Primeira República. Em Tempo de Histórias, v. 13, p. 63-81, 2008.

VIZEU, Fábio. Em algum lugar do passado: contribuições da pesquisa histórica para os estudos organizacionais brasileiros. In: XXXI Encontro da ANPAD, 31, 2007, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

VIZEU, Fábio. Potencialidades da análise histórica nos Estudos Organizacionais Brasileiros. Revista de Administração de Empresas, v. 50, n. 1, p. 37-47, jan/mar, 2010.




DOI: http://dx.doi.org/10.31412%2Frbcp.v9i2.545

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution 3.0 License.

e-ISSN: 2318-6917 || p-ISSN: 2178-0013 || ISSN-L: 2178-0013

                                                                                                          ANP Editora     OAI PMH Metadata (Open Archives)