Editorial: Psicologia de Polícia

Autores

DOI:

https://doi.org/10.31412/rbcp.v13i10.1049

Palavras-chave:

ordem e desordem, comportamento, saúde mental, tomada de decisão, psicologia

Resumo

O conhecimento advindo da psicologia e a intervenção do psicólogo nas organizações policiais são internacionalmente reconhecidos como cruciais para a melhoria da qualidade da prestação do serviço policial. O permanente desenvolvimento de novas tecnologias e sua aplicação aos problemas policiais obrigam a uma crescente sofisticação dos profissionais de polícia na utilização de competências de tomada de decisão, perceção e gestão do risco, comunicação, liderança, investigação. Selecionar os mais competentes, bem como projetar e desenhar formação e treino para os polícias que estarão em funções em meados do século XXI, implica que os gestores e líderes policiais acolham os conhecimentos advindos da área da psicologia. Este é o primeiro dossiê dedicado à Psicologia de Polícia da Revista Brasileira de Ciências Policiais, apresentando investigação sobre a importância do fator humano nas organizações e intervenções policiais, e a centralidade do estudo da tomada de decisão no âmbito da ação policial.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Lúcia G. Pais, Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna, Lisbon, Portugal.

Doutorada em Psicologia pela Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, Pós-Graduada em Criminologia pela mesma Universidade, e Licenciada em Psicologia (5 anos, área de psicologia clínica) pelo Instituto Superior de Psicologia Aplicada (Lisboa). Professora do Ensino Superior desde 1993. Professora no Instituto Superior de Ciências Policiais e Segurança Interna desde 2006, é também Coordenadora Científica do Departamento de Ciências Sociais e Políticas e Coordenadora Científica do Laboratório de Grandes Eventos. Professora no Instituto Universitário Egas Moniz desde 2010. Investigadora em vários projetos internacionais financiados pela União Europeia e UNICRI, relacionados com segurança de grandes eventos (políticos e desportivos) e violência doméstica.

Referências

CARTE, Gene E. August Vollmer and the Origins of Police Professionalism. 1972. Tese (Doutoramento em Criminologia). School of Criminology, University of California at Berkeley. 1972. Disponível em: https://www.ojp.gov/pdffiles1/Digitization/68880NCJRS.pdf

FOUCAULT, Michel. Vigiar e Punir: História da Violência nas Prisões. 10ª ed. Petrópolis: Vozes, 1993.

KUHN, Thomas S. A Estrutura das Revoluções Científicas. 5ª ed. São Paulo: Editora Perspectiva, 1998.

PAIS, Lúcia G. Uma História das Ligações entre a Psicologia e o Direito em Portugal: Perícias Psiquiátricas Médico-Legais e Perícias sobre a Personalidade como Analisadores. 2004. Tese (Doutoramento em Psicologia). Faculdade de Psicologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto, Porto. 2004. Disponível em: http://hdl.handle.net/10400.12/1666

PAIS, Lúcia G.; FELGUEIRAS, Sérgio. “Contributos para uma genealogia das ciências policiais”. In: Rollo, M. F.; Gomes, P. M.; Cueto-Rodríguez, A. (coords.). Polícia(s) e Segurança Pública: História e Perspetivas Contemporâneas. Lisboa: MUP, Museu da Polícia, 2020. p. 85-100. Disponível em: https://www.researchgate.net/profile/Lucia-Pais-2 Acesso em: 18 ago. 2022

Publicado

"04/10/2022"

Como Citar

PAIS, L. G. Editorial: Psicologia de Polícia. Revista Brasileira de Ciências Policiais, Brasília, Brasil, v. 13, n. 10, p. 17–25, 2022. DOI: 10.31412/rbcp.v13i10.1049. Disponível em: https://periodicos.pf.gov.br/index.php/RBCP/article/view/1049. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Expediente e Editorial

Categorias