v. 13 n. 10 (2022): Psicologia de Polícia

RBCP v. 13, n. 10 set./dez. 2022 - Dossiê: Psicologia de Polícia

No mundo contemporâneo, caracterizado pelo risco e pela incerteza, os problemas que se apresentam às organizações policiais e aos polícias conhecem crescente complexidade, exigindo maior e mais qualificado investimento no fator humano. Diferentes saberes científicos têm participado na modernização da atividade policial e contribuído para a definição de boas práticas.

O conhecimento advindo da psicologia e a intervenção do psicólogo nas organizações policiais são internacionalmente reconhecidos como cruciais para a melhoria da prestação do serviço policial, nomeadamente, através do investimento na qualidade das condições de trabalho e no apoio aos profissionais de polícia.

O permanente desenvolvimento de novas tecnologias e sua aplicação aos problemas policiais obrigam também a uma crescente sofisticação dos profissionais de polícia na utilização de competências de tomada de decisão, perceção e gestão do risco, comunicação, liderança, investigação.

Selecionar os mais competentes, bem como projetar e desenhar formação e treino para os polícias que estarão em funções em meados do século XXI, implica que os gestores e líderes policiais acolham os conhecimentos advindos da área da psicologia.

É com este enquadramento que acolhemos contribuições de pesquisadores que se interessam e pesquisam no âmbito da Psicologia de Polícia (considerada uma especialidade para a American Psychological Association desde 2013), enquanto área de aplicação de princípios e métodos da ciência psicológica às organizações policiais e seus profissionais, enquanto elementos essenciais e ativos das comunidades.

Publicado: "04/10/2022"

Edição completa

Expediente e Editorial

Artigos