A Comunidade Virtual de Prática e o Moderador na Academia Nacional de Polícia: novas perspectivas de aprendizagem

Autores

  • Talles Amaral Machado Polícia Federal
  • Luís Antônio Vilalta Professor da UNIALFA.

DOI:

https://doi.org/10.31412/rbcp.v10i1.570

Palavras-chave:

Comunidades Virtuais de Prática. Aprendizagem. Moderador. Gestão do Conhecimento.

Resumo

O presente artigo contribui para a discussão acerca da necessidade de reconhecimento oficial das comunidades virtuais de prática (VCOP) como eventos de educação continuada, e o moderador comunitário como atividade de magistério perante a Academia Nacional de Polícia. A pesquisa, de natureza qualitativa e caráter exploratório abordou a aprendizagem como ação estratégica na Polícia Federal e aspectos gerais envolvendo as comunidades. Dentre as VCOPs analisadas, constatou-se a presença de VCOPs ativas e inativas, sendo apontado como fator crítico o patrocínio de setores estratégicos da Polícia Federal. Aspectos organizacionais das VCOPs e a sua aplicação como modo de exercício de atribuições funcionais relacionadas à aprendizagem nos setores estratégicos da Polícia Federal são apresentados como potencialidades das comunidades. Ao final, são apresentadas as lacunas normativas e as suas implicações, cuja formalização poderá impactar positivamente nas ações educacionais.

 

Palavras-Chave: Comunidades Virtuais de Prática. Aprendizagem. Moderador. Gestão do Conhecimento.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Talles Amaral Machado, Polícia Federal

Delegado de Polícia Federal na SR/DPF/GO.

Referências

ALVARENGA NETO, Rivadávia Correa Drummond. Gestão do conhecimento em organizações: proposta de mapeamento conceitual integrativo. 2005. Disponível em: <http://scholar.googleusercontent.com/scholar?q=cache:TCeO1xCZllkJ:scholar.google.com/&hl=pt-BR&as_sdt=0,5>. Acesso em: 01 jun. 2018.

ALVES, Lynn; BARROS, Daniela Melaré Vieira; OKADA, Alexandra. Moodle: estratégias pedagógicas e estudos de caso. 2009. Disponível em: <https://repositorioaberto.uab.pt/bitstream/10400.2/2563/3/Livro%20Moodle.pdf. Acesso em: 01 jun. 2018.

APO. Knowledge Management Tools and Techniques Manual. Tokyo: Asian Productivity Organization, 2010. Disponível em: <http://www.apo-tokyo.org/publications/wp-content/uploads/sites/5/ind-43-km_tt-2010.pdf>. Acesso em 01 jun. 2018.

BATISTA, Fábio Ferreira. Proposta de um Modelo de Gestão do Conhecimento com Foco na qualidade. 2008. 287 f. Tese (Doutorado em Ciência da Informação) - Universidade de Brasília, Brasília, 2008. Disponível em: < http://repositorio.unb.br/handle/10482/1828>. Acesso em: 01 jun. 2018.

BORZILLO, Stefano. Top management sponsorship to guide communities of practice. Journal of Knowledge Management, v. 13, n. 3, p. 60-72, 2009. Disponível em: < https://www.emeraldinsight.com/doi/pdfplus/10.1108/13673270910962879>. Acesso em: 01 jun. 2018.

BRAGA, M.M. Especificação dos serviços essenciais a uma plataforma de software para comunidades de prática. 2008. Dissertação de mestrado. Disponível em:< https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/91308/260436.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 17 de ago. 2018.

BRASIL. Decreto n. 5.707/2006, de 23 de fevereiro de 2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração pública federal direta, autárquica e fundacional, e regulamenta dispositivos da Lei n. 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial da União - Seção 1 - 24/2/2006, Página 3. Disponível em: <http://www2.camara.leg.br/legin/fed/decret/2006/decreto-5707-23-fevereiro-2006-541199-norma-pe.html>. Acesso em: 03 jun. 2018.

CHOO, Chun Wei. A organização do conhecimento: como as organizações usam a informação para criar significado, construir conhecimento e tomar decisões. São Paulo, Senac, 2003.

CLEMENTI, J.A. Diretrizes motivacionais para comunidades de prática baseadas na gameficação. 2014. Disponível em:< https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/128683/328203.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 02 de ago. 2018.

COGER. Portaria n. 264-COGER/PF, de 10 de agosto de 2018. Publicada no Boletim de Serviço n. 155, de 13 de agosto de 2018, p. 2.

CORREIA, Marta Pinheiro Lemos. Aprendizagem e compartilhamento de conhecimento em comunidades virtuais de prática: estudo de caso na comunidade virtual de desenvolvimento de software livre DEBIAN-BR-CDD. 2007. Disponível em:< https://repositorio.ufba.br/ri/handle/ri/8128>. Acesso em: 02 ago. 2018.

DIAS, Paulo. Da e-moderação à mediação colaborativa nas comunidades de aprendizagem. Educação, Formação & Tecnologias, p. 4-10, 2008. Disponível em:< https://www.google.com.br/search?q=Da+e-modera%C3%A7%C3%A3o+%C3%A0+media%C3%A7%C3%A3o+colaborativa+nas+comunidades+de+aprendizagem&oq=Da+e-modera%C3%A7%C3%A3o+%C3%A0+media%C3%A7%C3%A3o+colaborativa+nas+comunidades+de+aprendizagem&aqs=chrome..69i57j69i61j69i60.406j0j8&sourceid=chrome&ie=UTF-8>. Acesso em: 02 de ago. 2018.

DALKIR, Kimiz. Knowledge management in theory and practice. Canada. Mcgill University, Burlington, Elsevier, 2005. Disponível em: < https://dianabarbosa.files.wordpress.com/2009/03/knowledge-management-kimiz-dalkir.pdf>. Acesso em: 01 jun. 2018.

GARVIN, David A. Building a learning organization. Harvard Business Review, Boston, July-August, 1993. Disponível em: < https://hbr.org/1993/07/building-a-learning-organization>. Acesso em: 01 jun. 2018.

KATO, David; DAMIÃO, Devanildo. Gestão do conhecimento e comunidades de prática, o caminho da inovação pela dinâmica da interação. O caso Abipti. XI Seminário de Gestion Tecnológica-ALTEC 2006, 2006. Disponível em:< http://files.gcportaiscorporativos.webnode.com/200000025-40935418ce/GC%20e%20Comunidades%20de%20Pratica%20-%20Caso%20ABIPTI.pdf>. Acesso em: 02 de ago. 2018.

KIENLE, A.; WESSNER, M. Principles for cultivating scientific communities of practice. In: VAN DEN BESSELAAR, P. et al. (Ed.). Communities and Technologies. Netherlands: Springer, 2005. p. 283-299. Disponível em:< https://link.springer.com/chapter/10.1007/1-4020-3591-8_15>. Acesso em: 17 de ago. 2018.

KISLOV, R.; HARVEY, G.; WALSHE, K. Collaborations for leadership in applied health research and care: lessons from the theory of communities of practice. Implementation Science, v. 6, n. 64, p.1-10, 2011. Disponível em: < https://implementationscience.biomedcentral.com/articles/10.1186/1748-5908-6-64>. Acesso em: 02 ago. 2018.

LAVE, Jean; WENGER, Etienne. Situated learning: legitimate peripheral participation. Cambridge: Cambridge University Press. 1991.

LISBÔA, E. S.; COUTINHO, C. P. O papel do E-moderador em comunidades virtuais: um estudo na rede social Orkut. 2009. Disponível em: < https://repositorium.sdum.uminho.pt/bitstream/1822/9992/1/O%20papel%20do%20e-moderador%20nas%20comunidades%20virtuais%20-%20um%20estdo%20na%20rede%20social%20Orkut.pdf>. Acesso em: 02 de ago. 2018.

MACHADO, T.A. Comunidades virtuais de prática da academia nacional de polícia como espaço de aprendizagem organizacional na polícia federal. 2018. Dissertação de mestrado profissional, Unialfa.

MARIA, A. S. R. I.; FARIA, V. C. M.; AMORIM, M. A. A comunidade de

prática da rede nós: colaborando e compartilhando conhecimentos em

arranjos produtivos locais. Organizações & Sociedade, v. 15, n. 44, p.

-170, 2008. Disponível em: < http://www.scielo.br/scielo.php?pid=S1984-92302008000100008&script=sci_arttext>. Acesso em: 02 de ago. 2018.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA. Portaria n. 1.252/2017-MJ. Aprova o Regimento Interno da Polícia Federal. 2017. Brasília. Diário Oficial da União, publicado em 02/01/2018. Edição:1. Seção 1. Página: 40, 41, 42, 43, 44, 70.

MIRANDA, Maribel Santos; OSÓRIO, António José. Liderança em comunidades de prática Online–estratégias e dinâmicas na@ rcacomum. In: IX Congreso Iberoamericano de Informática Educativa. Universidad Metropolitana Caracas/Venezuela. Anais do RIBIE. 2008. Disponível em: < https://www.researchgate.net/profile/Maribel_Miranda_Pinto/publication/266372212_Lideranca_em_Comunidades_de_Pratica_Online_-_Estrategias_e_Dinamicas_na_rcaComum/links/542d6b4e0cf277d58e8cc3bb.pdf>. Acesso em 02 ago. 2018.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Teoria da criação do conhecimento organizacional. Criação de Conhecimento na Empresa. Rio de Janeiro: Campus, 1997.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Gestão do conhecimento. Porto Alegre. Bookman Editora, 2008.

PENFOLD, P. Virtual communities of practice: collaborative learning and knowledge management. In: INTERNATIONAL CONFERENCE ON KNOWLEDGE DISCOVERY AND DATA MINING (WKDD), 3., 2010, Phuket. Anais... Phuket: CPS, 2010. p. 482-485. Disponível em:< https://www.computer.org/csdl/proceedings/wkdd/2010/3923/00/3923a482-abs.html>. Acesso em: 17 de ago. 2018.

POLANYI, Michael: The tacit dimension, Londres: Routledge & Kegan Paul, 1966.

POLÍCIA FEDERAL. Instrução Normativa n. 013/2015-DG/DPF, de 15 de junho de 2005. Define as competências das unidades centrais e descentralizadas do Departamento de Polícia Federal. Brasília. Boletim de Serviço n: 113, de 16 de junho de 2005.

_________________. Portaria n. 5962-DG/DPF, de 08 de dezembro de 2015. Institui a Política de Gestão do Conhecimento da Polícia Federal. Brasília. Boletim de Serviço n. 232, de 09 de dezembro de 2015.

________________. Portaria n. 6194/2016-DG/DPF, de 16 de março de 2016. Institui a Política de Desenvolvimento de Pessoal no âmbito da Polícia Federal. Brasília. Boletim de Serviço n. 052, de 17 de março de 2016.

_______________. Instrução Normativa n. 113/2017-DG/PF, de 04 de maio de 2017. Disciplina as ações educacionais realizadas no âmbito da Academia Nacional de Polícia. Brasília. Boletim de Serviço n: 085, de 05 de maio de 2017.

________________. Portaria n. 4453/2014-DG/DPF, de 16 de maio de 2014. Aprova a atualização do Plano Estratégico 2010/2022, o Portfólio Estratégico e o Mapa Estratégico da Polícia Federal, e dá outras providências. Brasília. Boletim de Serviço n. 093, de 19 de maio de 2014. Disponível em: < http://www.pf.gov.br/institucional/planejamento-estrategico>. Acesso em: 03 jun. 2018.

________________. Instrução Normativa n. 010/2007-DG/DPF, de 08 de junho de 2007. Regulamenta as ações de educação a distância implementadas pela Academia Nacional de Polícia e respectiva retribuição pelo exercício de encargos de atividades desta modalidade.

Publicada em Boletim de Serviço n. 111, de 12 de junho de 2007.

SCHMITT, Sabrina Rebelo. Fatores críticos de sucesso à manutenção de comunidades de prática e suas dimensões de análise. 2012. Disponível em: < https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/103420>. Acesso em: 01 jun. 2018.

SENGE, Peter M. A quinta disciplina: arte e prática da organização que aprende. São Paulo. Best Seller. 2009.

SVEIBY, Karl Erik. The new organizational wealth: managing & measuring knowledge-based assets. San Francisco. Berrett-Koehler Publishers, 1997.

TARAPANOFF, Kira (Org). Inteligência, informação e conhecimento em corporações. Brasília. Instituto Brasileiro de Informação em Ciência e Tecnologia (IBICT), 2006.

VON KROGH, George; ICHIJO, Kazuo; NONAKA, Ikujiro. Facilitando a criação do conhecimento. Rio de Janeiro: Campus, 2001.

WENGER, Etienne. Communities of practice: learning, meaning and Identify. Cambridge, USA: Cambridge University Press, 1998.

WENGER, Etienne; MCDERMOTT, Richard; SNYDER, Willian M.: Cultivating communities of practice: a guide to managing knowledge. Boston: Harvard Business School Press, 2002.

WILBERT, Julieta Kaoru Watanabe. Características de VCoPs que influenciam processos de inovação: estudo de caso em uma empresa pública brasileira. 2015. Disponível em:< https://repositorio.ufsc.br/bitstream/handle/123456789/135512/334492.pdf?sequence=1&isAllowed=y>. Acesso em: 02 ago. 2018.

VILLANUEVA-LLAPA, A. Comunidades de prática como ferramentas da gestão de conhecimento em projetos. 2014. Tese de Doutorado. USP. Disponível em:< http://www.teses.usp.br/teses/disponiveis/3/3136/tde-29042015-182256/en.php>. Acesso em: 17 de ago. 2018.

Downloads

Publicado

"02/10/2019"

Como Citar

MACHADO, T. A.; VILALTA, L. A. A Comunidade Virtual de Prática e o Moderador na Academia Nacional de Polícia: novas perspectivas de aprendizagem. Revista Brasileira de Ciências Policiais, Brasília, Brasil, v. 10, n. 1, p. 141–168, 2019. DOI: 10.31412/rbcp.v10i1.570. Disponível em: https://periodicos.pf.gov.br/index.php/RBCP/article/view/570. Acesso em: 29 nov. 2022.

Edição

Seção

Artigos

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)