LEI DE BENFORD: uma análise de sua aplicabilidade em uma amostra de documentos fiscais nas prestações de contas de senadores da República

Autores

  • Enelson Candeia da Cruz Filho Polícia Federal
  • Danielle Montenegro Salamone Nunes Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FACE). Universidade de Brasília (UnB)
  • Claudio Moreira Santana Atualmente é contador e consultor empresarial na About Business Contabilidade, Consultoria Empresarial, Auditoria e Treinamentos Ltda

DOI:

https://doi.org/10.31412/rbcp.v12i6.830

Palavras-chave:

Lei de Benford. Primeiro dígito significante. Lei do Primeiro Dígito. Detecção de fraude. Análise Digital.

Resumo

Aqueles que têm por atribuição manifestarem-se sobre o grau de conformidade dos registros financeiros gerados por sistemas internos ou externos têm demandado um desenvolvimento contínuo de ferramentas destinadas ao exame analítico de grandes conjuntos de dados digitais. Alinhando-se às demais técnicas estatísticas de seleção de amostras de auditoria amplamente empregadas pelos profissionais que militam nesse setor, vem ganhando notoriedade a aplicação da Lei de Benford como instrumento de direcionamento do trabalho dos responsáveis por mensurarem o nível de conformidade dos gastos realizados por pessoas físicas ou jurídicas. Nesse cenário, o confronto entre frequências observadas e frequências esperadas para o primeiro, segundo e dois primeiros dígitos, de um dado número, pode direcionar e racionalizar procedimentos mais criteriosos de comprovação do gasto para determinados documentos e, consequentemente, identificar indivíduos que estejam cometendo fraudes, erros ou irregularidades no processo de prestação de contas de valores destinados ao custeio de despesas.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Enelson Candeia da Cruz Filho, Polícia Federal

Formação em Ciências Contábeis (UNB) Especialista em Documentoscopia e Ciências Policiais (ANP) Especialista em Perícia e Auditoria (UNB) MBA em Gestão Financeira: Auditoria e Controladoria (FGV)

Danielle Montenegro Salamone Nunes, Universidade de Brasília, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FACE). Universidade de Brasília (UnB)

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília (2004), mestrado em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília (2009) no Programa Multi-institucional e Inter-regional de Pós-graduação em Ciências Contábeis (UnB, UFPB e UFRN) e doutorado em Administração, com ênfase em Finanças e Métodos Quantitativos, pela Universidade de Brasília (2017). Atualmente é professora adjunta junto ao Departamento de Ciências Contábeis e Atuariais da Faculdade de Economia, Administração, Contabilidade e Gestão de Políticas Pública da Universidade de Brasília, atuando principalmente em Contabilidade Financeira, Finanças e Auditoria de Demonstrações Contábeis.

Claudio Moreira Santana, Atualmente é contador e consultor empresarial na About Business Contabilidade, Consultoria Empresarial, Auditoria e Treinamentos Ltda

Possui graduação em Ciências Contábeis pela Universidade de Brasília (UnB) (1994) e mestrado em Ciências Contábeis pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo (Fea/Usp) (2004). Tem experiência em ensino, pesquisa e extensão na área de Ciências Contábeis, atuando principalmente nos seguintes temas: comunicação científica na área de contabilidade, pesquisa e metodologia da pesquisa científica aplicada, ensino de contabilidade, teoria da contabilidade e contabilidade social e ambiental. Principais áreas de interesse: produção e disseminação do conhecimento em contabilidade, ensino de contabilidade, contabilidade social e ambiental e teoria e história da contabilidade. Na UnB, foi coordenador de graduação dos cursos de ciências contábeis (CCA/Face/UnB) em duas ocasiões: 1998/99 (curso diurno) e 2005 a 2009 (curso noturno), foi também coordenador da disciplina Pesquisa em Ciências Contábeis (Trabalho de Conclusão de Curso) na graduação (jan/2010 a fev/2013). Foi professor assistente na Universidade Federal de Goiás (UFG), lotado na Faculdade de Administração, Ciências Contábeis e Economia (Face), com vínculo aos cursos de graduação em Ciências Contábeis (2013-2015), tendo sido coordenador de Trabalho de Conclusão de Curso (2013). Foi professor no Uniprojeção (DF), UniCeub (DF) e Faculdade de Ciências e Tecnologia de Unaí (MG).

Referências

BADAL-VALERO, E.; ALVAREZ-JAREÑO, J. A.; PAVÍA, J. M. Combining Benford’s Law and machine learning to detect money laundering. An actual Spanish court case. Forensic Science International, v. 282, pp 24-34, 2018.

BENFORD, F. The law of anomalous numbers. Proceedings of the American Philosophical Society, v. 78, n. 4, p. 551-572, 1938.

BERGER, A.; HILL, T. P. An Introduction to Benford’s Law. United Kingdom: Princeton University Press, 2015.

BRASIL, Senado Federal. Transparência: Dados Abertos – CEAPS. Brasília. (2019). Recuperado de https://www12.senado.leg.br/transparencia/dados-abertos-transparencia/dados-abertos-ceaps.

CARSLAW, C. A. P. N. Anomalies in income numbers: Evidence of goal oriented behavior. The Accounting Review, v. 63, n. 2, p. 321-327, 1988.

DRAKE, P. D.; NIGRINI, M. J. Computer Assisted Analytical Procedures Using Benford’s Law. Journal of Accounting Education, v. 18, n. 2000, 127-146, 2000.

DURTSCHI, C.; HILLISON, W.; PACINI, C. The effective use of Benford's Law to assist in detecting fraud in accounting data. Journal of Forensic Accounting, v. 5, n 1, p. 17-34, 2004.

HILL, T. P. The significant-digit phenomenon. The American Mathematical Monthly, v. 102, n. 4, p. 332-327, 1995.

KRAKAR, Z.; ŽGELA, M. Application of Benford's Law in payment systems auditing. Journal of Information and Organizational Sciences, v. 33, n. 1, p. 39-51, 2009.

MEHTA, A.; BHAVANI, G. Application of forensic tools to detect fraud: The case of Toshiba. Journal of Forensic & Investigative Accounting, v. 9, n. 1, p. 692-710, 2017.

NEWCOMB, S. Note on the frequency of use of the different digits in natural numbers. American Journal of Mathematics, v. 4, n. 1, p. 39-40, 1881.

NIGRINI, M. J. A taxepayer compliance application of Benford's Law. The Journal of American Taxation Association, v. 18, Spring, p. 72-91, 1996.

NIGRINI, M. J.; MILLER, S. J. Data diagnostics using second-order tests of Benford’s Law. Auditing: A Journal of Practice & Theory, v. 28, n. 2, p. 305-324, 2009.

NIGRINI, M. J.; MITTERMAIER, L. J. The use of Benford's Law as an aid in analytical procedures. Auditing: A Journal of Practice & Theory, v. 16, n. 2, p. 52-67, 1997.

PETERSON, B. K. Fraud education for accounting students. Journal of Education for Business, v. 78, n. 5, p. 263-267, 2003.

SHAPIRO, S. D. Collaring the crime, not the criminal: reconsidering the concept of white-collar crime. American Sociological Review, v. 35, n. 3, p. 346-365, 1990.

THOMAS, J. K. Unusual patterns in reported earnings. The Accounting Review, v. 64, n. 4, p. 773-787, 1989.

WHYMAN, G. et al. Revisiting the Benford Law: When the Benford-like distribution of leading digits in sets of numerical data is expectable? Physica A: Statistical Mechanics and its Applications, n. 461, p. 595-601, 2016.

WONG, S.; VENKATRAMAN, V. Financial Accounting Fraud Detection Using Business Intelligence. Asian Economic and Finance Review, v. 5, n. 11, p. 1187-1207, 2015.

YANG, S.; WEI, L. Detecting money laundering using filtering techniques: A multiple-criteria index. Journal of Economic Policy Reform, v. 13, n. 2, p. 159-178, 2010.

Downloads

Publicado

2021-09-30

Como Citar

DA CRUZ FILHO, E. C.; NUNES, D. M. S.; SANTANA, C. M. LEI DE BENFORD: uma análise de sua aplicabilidade em uma amostra de documentos fiscais nas prestações de contas de senadores da República. Revista Brasileira de Ciências Policiais, [S. l.], v. 12, n. 6, p. 103–126, 2021. DOI: 10.31412/rbcp.v12i6.830. Disponível em: https://periodicos.pf.gov.br/index.php/RBCP/article/view/830. Acesso em: 29 jun. 2022.

Edição

Seção

Dossiê